PRONUNCIAMENTO: Dom Dulcênio envia carta saudando toda Diocese de Campina Grande


Palmeira dos Índios, 11 de outubro de 2017,
Memória de Nossa Senhora Mãe da Divina Graça e de São João XXIII.
Caros Sacerdotes, Religiosos e Diocesanos de Campina Grande,
Quis a Divina Providência, através do Sumo Pontífice, Papa Francisco, nesta manhã, nomear-me Bispo Diocesano de Campina Grande, sem mérito algum de minha parte. A partir desta surpresa, é que desejo, tão logo, dirigir-me em breves palavras ao povo que será a minha Grei por ser antes de Cristo Pastor, a quem representarei.
Estava, fisicamente, em vosso meio – com maior exatidão, na Assembleia do Regional Nordeste 2, em Lagoa Seca –, quando, no último 26 de setembro, fui informado pelo senhor Núncio Apostólico no Brasil, Dom Giovanni d’Aniello, que o Santo Padre me havia designado para conduzir a Igreja particular de Campina Grande. Ao perguntar-me da minha declinação à proposta, fui claro na resposta: “- Senhor Núncio, no Pai-nosso, sempre digo: ‘Seja feita a Vossa vontade’. Se é vontade de Deus e do Santo Padre, aceito!”. Ao que fui encorajado pelo Núncio: “- Vossa Excelência não é tão devoto de Nossa Senhora?! Ela o ajudará”. E logo, fui unindo às ideias o fato do patrocínio de Nossa Senhora da Conceição sobre a Cidade e a Diocese de Campina Grande, como uma confirmação de que Ela me auxiliará.
Mesmo sob o Sigilo Pontifício, fui sondando acerca da missão que me esperava. Pelas informações que obtive (ainda que veladamente), soube da vivacidade da vossa Igreja Diocesana. Desde já, manifesto o meu desejo de, tão logo, está em vossa companhia, para numa união de forças, baseados sempre na fé, e em prol da fé, valer aquela máxima conhecidíssima do ilustre Bispo de Hipona, Santo Agostinho: “Para vós, sou Bispo; convosco, cristão”. Desejo ainda, manifestar – ainda que, por ora, na escrita – os meus sentimentos de Bispo e Pai, naquela mesma perspectiva de Santo Inácio de Antioquia, que dizia ser o Bispo é imagem viva do Pai. Que seja este o meu grande programa de vida para os meus novos diocesanos!
A missão, fruto do meu ‘SIM’ vocacional, agora me impele a deixar a bela ‘Terra dos Marechais’, Alagoas. A vida de quem põe a mão no arado do Reino (cf. Lc 9,62) é dinâmica. Agora sou designado para o ‘Sublime Torrão’, cantado por Genival Macedo e por tantos, “ […] onde o azul do céu é mais cor de anil, onde o sol tão quente parece mais gentil”. Deixo, com tristeza Alagoas; sou abraçado pelo quinhão onde o astro-rei é pioneiro em toda a América Latina, Paraíba; simultaneamente em que sou por vós abraçado, também vos abraço, em uma reciprocidade pastoral, fraternal, paternal e filial. Desde já, agradeço o vosso carinho e orações! Aproveito para manifestar a minha gratidão ao senhor Arcebispo da Paraíba, Dom Manuel Delson Pedreira da Cruz, a quem sucederei na Sede Episcopal Campinense, e ao Padre Aparecido Francisco Camargo, que, zelosamente, tem administrado a vossa Diocese com esmero.
Anseio a todos, de coração, abençoar, implorando os auspícios celestes para a, já por mim amada, Diocese de Campina Grande.

Em Cristo Pastor,
Dom Dulcênio Fontes de Matos
Bispo eleito de Campina Grande

NOTA OFICIAL: Pe Aparecido Camargo acolhe Dom Dulcênio


“Bendito o que vem em nome do Senhor!” (Sl 118,26)
Irmãos e irmãs em Cristo, saudações!
Neste momento, comunico aos presbíteros, diáconos, religiosos, religiosas, agentes de pastoral, seminaristas e aos fiéis católicos da Diocese de Campina Grande, e às autoridades constituídas dos municípios que compõem esta Diocese, que recebi esta alegre notícia do Sr. Núncio Apostólico, Dom Giovanni d’Aniello, no dia 29 de setembro: “Tenho a satisfação de comunicar-lhe oficialmente que o Santo Padre Francisco nomeou Bispo dessa vacante Diocese de Campina Grande o Excelentíssimo Dom Dulcênio Fontes de Matos, transferindo-o da sede episcopal de Palmeira dos Índios, no Estado de Alagoas”.
Hoje, dia do aniversário da cidade de Campina Grande e véspera da solenidade de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, recebemos com alegria a notícia da nomeação do nosso novo bispo diocesano: Dom Dulcênio Fontes de Matos.
Queremos agradecer a Deus pelo novo pastor que Ele nos concedeu. Deus atendeu as incessantes súplicas que nossa Igreja Particular dirigiu a Ele. E agradecer também à Imaculada Conceição, nossa padroeira, que intercedeu pela nossa diocese e pediu a Deus um pastor segundo o coração de Cristo.
Quanto à data da posse canônica do nosso 8º Bispo Diocesano Dom Dulcênio, marcamos para o dia 02 de dezembro próximo, na Catedral de Nossa Senhora da Conceição. Com relação aos detalhes da posse, a comissão que será constituída irá providenciar para que seja um momento singular para a nossa Igreja Diocesana.
Desde já, peço as orações de todos para que Deus, com a sua providência, nos ajude em tudo que for necessário nesse momento de preparação imediata da posse do nosso bispo.

Campina Grande, 11 de outubro de 2017.
Pe. Aparecido Francisco Camargo
Administrador Diocesano

Dom Dulcênio Fontes é nomeado Bispo de Campina Grande


Após 5 meses de vacância, a Diocese de Campina Grande recebe a notícia da nomeação de seu 8º Bispo Diocesano. Dom Dulcênio Fontes de Matos virá transferido da Diocese de Palmeira dos Índios (AL), onde passou 11 anos. A nomeação foi comunicada no início da manhã desta quarta-feira, 11 de outubro, aniversário de Campina Grande, no portal oficial do Vaticano e no L’Oservatore Romano. Em Campina Grande, o comunicado oficial foi feito pelo Pe Aparecido Camargo, Administrador Diocesano, na Rádio Caturité. A posse canônica está marcada para o dia 02 de dezembro.
Dom Dulcênio Fontes de Matos nasceu no dia 19 de outubro de 1958, na cidade de Lagarto, em Sergipe e ingressou no seminário no ano de 1979, estudando Filosofia em Brasília e Teologia na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-RJ. Em 1985 foi ordenado sacerdote, exercendo seu ministério nas paróquias de sua diocese de origem, Estância (SE).
Em 18 de abril de 2001, depois de 15 anos de ministério sacerdotal, o Papa João Paulo II, o nomeou Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Aracaju. Na época, era o bispo mais jovem do episcopado brasileiro. Foi sagrado bispo aos 16 de junho de 2001 em Estância. Dom Dulcênio escolheu, para a vida episcopal, o lema ‘Pro Mundi Vita’ (Para a Vida do Mundo) (Jo 6,51).
Depois de cinco anos de pastoreio em Aracaju, no dia 05 de julho de 2006, o Papa Bento XVI nomeou Dom Dulcênio como Bispo Diocesano de Palmeira dos Índios. No dia 09 de setembro do mesmo ano aconteceu sua posse tornando-se o quarto Bispo de Palmeira dos Índios.
Pascom Diocesana

Paróquia de Cuité divulga programação da Festa das Mercês 2017

A Paróquia de Cuité divulgou, nesta quarta-feira (06), a programação da Festa de Nossa Senhora das Mercês – padroeira de Cuité e do Curimataú paraibano. O ex - pároco da cidade, Pe. Luciano Guedes vai abrir a programação no dia 15 de setembro. Ele celebra às 19h30 a Missa e na primeira noite da Novena na Igreja Matriz.

O tema da Festa deste ano é: “Com Maria aprendemos a ser família”.

Assim como nos outros anos, reforçamos que o encerramento da Festa, acontece na tarde do dia 24, às 16h – Procissão e às 17h - Missa Solene, celebrada pelo Pe. Zé Vanildo.

“Convidamos você devoto da Virgem das Mercês, a mãe da libertação para vivenciar junto com sua família, esses dias de profunda reflexão e espiritualidade, certos  de que as bênçãos  do céu serão derramadas sobre os homens e mulheres de boa vontade, filhos dessa agraciada terra de Cuité e seus ilustres visitantes, conto com a presença de todos vocês’ disse Pe. Severino Firmino, pároco de Cuité.

Na Praça Cônego José de Barros irá acontecer de 19 a 22, quermesse, shows de evangelização e barracas com comidas típicas. Já no dia 23 será realizado o Festival de Prêmios da Paróquia.

Programação completa:

1º DIA - SEXTA (15/09)
Procissão com a Imagem peregrina (saída 18h, Com. Conceição);
Hasteamento das bandeiras (Filarmônica) – 19h;
Santa Missa (19:30);
Tema: Maria, sinal do amor de Deus na família;
Celebrante: Pe. Luciano Guedes (Catedral);
Coral:Jesus Ressuscitado;
Responsáveis: Centro e Pastoral do Dízimo;

2º DIA – SÁBADO (16/09)
Casamentos Coletivos;
Celebrante: Pe. Severino Firmino;
Coral: Eklésia;
Responsáveis:ECC.

3º DIA - DOMINGO (17/09)
Santa Missa (9h);
Celebrante: Pe. Severino Firmino;
Coral:Sal da Terra;
Responsáveis:Universitários.

4º DIA -SEGUNDA(18/09)
Ofício: Centro, Com. das Graças, São Francisco (5:30);
Santa Missa do Agricultor(09h);
Celebrante: Pe. Severino Firmino;
Responsáveis:Equipe da Zona Rural.

NOITE
Terço e orações a Nossa Senhora das Mercês;
Coral: Imaculado Coração de Maria;
Responsáveis: Apostolado da Oração e Ministros da Comunhão.

5º DIA - TERÇA (19/09)
Ofício: Grupo Adorai e 72 Discípulos - (5:30);
Santa Missa (19:30);
Tema: Com Maria, famílias em defesa da vida;
Celebrante:Pe. Lúcio Flávio (Picuí);
Coral: Sal da Terra;
Responsabilidade:Comunidade da Conceição, Com. Aparecida e Pastoral Carcerária;


6º DIA – QUARTA (20/09)
Ofício: Com. São José, Santo Antônio e Santa Teresinha(5:30);
Santa Missa (19:30);
Tema: Famílias, com Maria, firmes na fé;
Celebrante:Pe.José Marcondes (Aroeiras);
Coral: Missionário de Nossa Senhora das Mercês;
Responsáveis: 72 Discípulos e Terço dos homens.

7º DIA - QUINTA (21/09)
Ofício: ECC e Dízimo;
Santa Missa (19:30);
Tema: Maria, modelo de oração para as famílias;
Celebrante: Pe. Hebert Pereira (Barra de Stª. Rosa);
Coral: Resgate (Damião);
Responsáveis: Nossa Senhora das Graças, São Francisco e Grupo Adorai;

8º DIA - SEXTA (22/09)
Ofício:Com. da Conceição, Com. Aparecida e Pastoral Carcerária (5:30);
Santa Missa (19:30);
Tema: Maria, ensina-nos a viver o perdão na família;
Celebrante: Pe.José Jorge (Alagoa Nova);
Coral: Herança Divina (Nova Floresta);
Responsáveis: Santo Antônio, São José e Santa Teresinha;

9º DIA – SÁBADO (23/09)
Ofício: Crisma, EJC e MEJ (5:30);
Batizados (10h);
Celebrante: Pe. Severino Firmino;
NOITE
Santa Missa (19:30);
Tema: Maria, modelo para a juventude;
Celebrante: Pe. Tiago Macêdo (Campina Grande);
Coral: Filhos de Maria;
Responsáveis: Crisma, EJC e MEJ;

MISSA SOLENE – DOMINGO (24/09)
Alvorada com a banda filarmônica;
Procissão (16h);
Santa Missa (17h);
Tema: Com Maria aprendemos a ser família.
Celebrante: Pe. José Vanildo (Campina Grande);
Coral: Junção dos ministérios de música;
Responsáveis: Todas as comunidades, pastorais grupos e movimentos.

PROGRAMAÇÃO CULTURAL

JANTAR DO REENCONTRO – 23/09;
Local: Ginásio do Vidal de Negreiros;
Horário: 20h;
Atrações:
Junyor Oliveira (MPB);
Tereza Cruz (MPB);
Gilberto Lima (anos 80/90);
Banda A3 Show Baile;

Festival de Prêmios – 17/9;
Horário: 15h.

QUEMESSES
De 19 a 22, após as missas.
Shows de Evangelização, comidas típicas,
bingos mirins e brincadeiras.

 SHOWS / QUERMESSE

Sexta-feira (15/9): Filarmônica Cuité;
Domingo (17/9): Festival de Prêmios;
Terça-feira (19/9):Ministério Filhos de Maria;
Quarta-feira (20/9): Ministério Chama Viva (Nova Floresta);
Quinta-feira (21/9): Ministério Filhos da Misericórdia (Jaçanã);
Sexta-feira (22/9): Ministério JUEBC (Nova Floresta).

 Pascom





Nossa História e suas memórias

Por Marié Dantas

A fundação da cidade de Cuité cabe ao coronel de milícias Caetano Dantas Correia, que juntamente com sua esposa dona Josefa de Araújo Pereira, doou meia légua de terras( 300 hectares) nas proximidades do Olho D'água do Cuité, passando no meio da lagoa, com divisória em pedras e chagando até a atual rua sete de Setembro, para constituição do patrimônio de uma capela, que pretendiam erigir com invocação a Nossa Senhora das Mercês.

 A referida escritura de doação, datada de 17 de julho de 1768, foi lavrada na povoação de Nossa Senhora do Bom Sucesso do Piancó, pelo escrivão Antônio Gonçalves Reis Lisboa.
          Em 12 de agosto de 1801, os moradores da Serra do Cuité, reuniram-se na vila de Mamanguape, em casa do vigário João Feijó e na presença do padre João Francisco Fernandes, assinaram um termo, no qual, se obrigavam a sustentar seus párocos, tomando por base os princípios estabelecidos na freguesia de Nossa Senhora Santana, sediada na Vila Nova do Príncipe (atual município de Caicó, no Rio Grande do Norte), da qual seria desvinculada a nova sede paroquial.

Pela Lei Provincial n° 04, de 27 de maio de 1854, a povoação da Serra do Cuité foi elevada à categoria de vila, com a denominação de ‘Vila do Cuité.

Em 25 de junho de 1872, pela Lei n° 480, foi criada a Comarca de Borborema com sede na Vila do Cuité, sendo seu primeiro juiz de direito, o Dr. Alfredo da Gama Montezuma.

Por razões políticas, a Comarca de Cuité foi transferida em 29 de outubro de 1904 para Picuí, dando-se sua instalação em 24 de novembro do mesmo ano.

 Em 1911, com a nova divisão administrativa do Brasil, Cuité passou a ser subordinada a Picuí, que ganhou foro de município. Esta condição durou até 18 de dezembro de 1936.

A emancipação política de Cuité foi sendo fruto de um movimento popular, onde se destacaram Jeremias Venâncio dos Santos, João Venâncio da Fonseca, João Teodósio da Silva, Basílio Fonseca, padre Luiz Santiago, Rivaldo Fonseca, Benedito Venâncio, Jovino Pereira e Pedro Viana da Costa, que seria o primeiro prefeito constitucional do novo município, oficialmente instalado no dia 25 de janeiro de 1937.

A História da cidade tem como base a religião Católica, que é representada na própria bandeira do Município traçado ao meio uma grande cruz.

Entre os anos de 1843 a 1891, grande parte da população morria cedo, naquela época a velhice chega aos 40 anos. Muitas crianças morriam cedo ( na faixa de quinze dias, meses, ano e meio), nesta época era a Igreja Católica que registrava os óbitos ocorridos.

Neste período de 1843 a 1891, compreendia afreguesia de Cuité: Barra de Santa Rosa, Pedra Lavrada, Baraúna, Cumarus, Picuí (até inicio de 1871).

As causa morte eram várias: moléstia inteiriça, espasmo, veneno de cascavel, tossecatarro; assassinado com tiros, facadas, chagas na garganta, mordedura de cobra, queimadura de fogo, doença maligna, febres.

As pessoas eram sepultadas com vestes (hábitos) brancas, preto, roxo, azul, encarnado; as crianças eram sepultadas em hábito sacerdotal ou clerical,
A Paróquia nossa Senhora das Mercês de Cuité é a segunda paróquia mais antiga pertencente à Diocese de Campina Grande, superada apenas pela Catedral de Nossa Senhora da Conceição de Campina Grande de 1779.

A Criação da Paróquia de Nossa Senhora das Mercês se deu em 12 de agosto de 1801, tendo seu primeiro vigário nomeado neste mesmo dia, mês e ano – Pe. Manuel Fernandes Pimenta.

A Matriz de Nossa Senhora das Mercês foi inaugurada em 27 de fevereiro de 1947, portanto completou 70 anos de existência em 2017.

Grupos criados na Paróquia:

A Associação do Apostolado da oração fundada em 1899, pelo Arcebispo Dom Adauto Henriques.

A Irmandade de Nossa Senhora do Desterro, fundada em 1866.
Conferência Vicentina fundada em agosto de 1928.
Cruzada Eucarística fundada em 1928.
Congregação Mariana, fundada em 1951.
Pia União das Filhas de Maria fundada em 31/05/1952.

A casa Paroquial que fica localizada na rua João Pessoa foi construída em 1932 pelo padre Luís Santiago.

A construção da atual casa Paroquia, situada na rua José Caetano Dantas foi iniciada em 03/12/1963 por padre Boleslau, natural da Polônia (permaneceu no Brasil por 20 anos).

 Ele adquiriu um terreno particular pertencente a João Ferreira da Silva localizado na rua 4 de Outubro (atual rua José Caetano Dantas) no valor de trezentos mil cruzeiros, medindo 33 metros de frente. A escritura foi passada no cartório do Srº, Euclides Bezerra, com o saldo da festa da padroeira e ajuda dos paroquianos.

Em 26/10/1966 – Inicia-se na cidade de Cuité os trabalhos para a rede elétrica de Paulo Afonso.

Em 28/12/1966 se deu a inauguração da iluminação elétrica de Paulo Afonso sobre a presença do Exci.ª Governador Dr. João Agripino.
Em 05/01/1967 se deu a instalação da iluminação elétrica de Paulo Afonso na Igreja Matriz e casa Paroquial.

Dia 7/12/1967 – chegaram à Campina Grande dois padres Italianos, Donato e Domingos enviados pelo Comité da Itália, dada a grande falta de clero, a pedido do Sr. Bispo Dom Manoel Pereira da Costa.

Em 26/06/1968 – Chegaram a Barra de Santa Rosa para assistência aos trabalhos pastorais deste município os padres: Donato Rizzi e Domingos Ciavarella. Iniciando abertura de livros para casamento e batizados, por enquanto os padres permanecerão com residência na cidade de Esperança.

Em 31/01/1969 – Inauguração da água saneada na cidade de Cuité. Neste mesmo dia mês e ano também foi inaugurado a lavanderia do Olho d’água.

Chegada de padre Donato Rizzi a Paróquia de Cuité aconteceu em 04/10/1969, sem nenhuma solenidade. E por motivos superiores ficou dando assistência de sexta-feira a segunda-feira. O padre José Rodrigues foi transferido para Campina Grande neste mesmo mês e ano.

Pesquisa: Marié Dantas - Historiadora / Secretaria Paroquial.
Fonte: Arquivo

Paróquia de Cuité divulga programação do Dia de Corpus Christi

Nesta quinta-feira (15) a Igreja Católica celebra o Dia de “Corpus Christi” (Corpo de Cristo). Essa solenidade é realizada sempre na quinta-feira depois da Festa da Santíssima Trindade. O objetivo é celebrar solenemente o mistério da Eucaristia: o Sacramento do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo.
Acontece sempre em uma quinta-feira, em alusão à Quinta-feira Santa, quando se deu a instituição deste sacramento. Durante a última ceia de Jesus com seus apóstolos, Ele mandou que celebrassem Sua lembrança comendo o pão e bebendo o vinho que se transformariam em seu Corpo e Sangue.
Veja programação:

8h – Confecção de tapetes na Rua João Pessoa;
9h – O pároco Padre Severino Firmino, celebra Missa na Igreja Matriz Nossa Senhora das Mercês;
16h – Padre Severino Firmino, celebra Missa na Igreja Matriz Nossa Senhora das Mercês;
17h – Procissão pelas ruas da cidade com Jesus Eucarístico e benção.


Pascom

Festa da Trindade 2017 em Cuité



A Forania do Curimataú composta pelas Paróquias Nossa Senhora das Mercês (Cuité), Nossa Senhora da Conceição (Barra de Santa Rosa e Damião), Nossa Senhora do Desterro ( Baraúna e Sossego), São Severino Bispo (Nova Floresta), São Sebastião (Picuí e Frei Martinho) se reuniram neste domingo (11) na cidade de Cuité para realizar a Festa da Santíssima Trindade.






 


 MAIS FOTOS:

Paróquia de Cuité realiza Festa da Trindade 2017 no próximo domingo (11)


No próximo domingo (11) a Paróquia Nossa Senhora das Mercês de Cuité realizará a Festa da Trindade 2017 da Forania do Curimataú. A programação está prevista para ter início às 13h, no ginásio da Escola Estadual Vidal de Negreiros, ao lado da Igreja Matriz de Cuité.

Participarão da festa as Paróquias que fazem parte da Forania do Curimataú, Paróquia Nossa Senhora das Mercês - Cuité, Paróquia Nossa Senhora da Conceição e Santa Rosa de Lima – Barra de Santa Rosa e Damião, Paróquia São Severino Bispo – Nova Floresta, Paróquia Nossa Senhora do Desterro – Baraúna e Sossego, Paróquia São Sebastião – Picuí e Frei Martinho.

Programação (Ginásio da Escola Estadual Vidal de Negreiros ( ao lado da Igreja Matriz), o acesso ao evento será por trás da escola.

13h – Acolhida;
13h20 – procissão com a imagem de Nossa Senhora;
13h30 – Terço;
14h – Animação e Oração (Ministério Eklésia - Cuité);
14h30 – Palestra: Famílias em Caminhos;
15h15 - Intervalo e Animação;
15h30 – Palestra: Amor de Deus na Família;
16h – Preparação para a Santa Missa;
16h15 – Santa Missa.


Venha e faça a experiência de encontro com Deus Pai, Filho e Espírito Santo.

PASCOM